Em parceria com Curitiba, Hospital do Trabalhador faz parto com apoio de intérprete de libras
10/10/2022 - 11:09

Um parto registrado na maternidade do Hospital do Trabalhador (HT), em Curitiba, virou exemplo de inclusão social. Todo o processo de orientação e procedimentos da cesariana foram traduzidos em Libras para Rosilene Gregório, de 32 anos, que é deficiente auditiva desde os dois anos de idade. A iniciativa fez parte das ações para ampliar a acessibilidade e reforçar o atendimento humanizado proposto pelo Governo do Estado.

Terceiro filho de Rosilene, Teodhoro Gregório nasceu com 3,4 quilos e foi o primeiro da família em um parto traduzido integralmente para deficientes auditivos, fazendo com que este momento se tornasse ainda mais emocionante. “Estou muito feliz e grata, porque para o surdo é muito difícil essa comunicação e com a intérprete fica mais fácil. É muito importante essa acessibilidade. Agora eu e meu filho estamos bem e espero que esse serviço possa chegar em mais hospitais”, afirmou a mãe.

O caso de Rosilene foi o primeiro deste ano no HT, que é o maior hospital da Secretaria de Estado da Saúde. No ano passado a unidade registrou outros dois partos com presença de intérprete. O serviço é oferecido pela prefeitura de Curitiba, por meio da Central de Libras. Sandra Mara Mathias foi a intérprete que traduziu um dos momentos mais importantes da vida de Rosilene.

“A dificuldade dos surdos dentro da sociedade vai muito além do dia a dia, há necessidades de comunicação em todas as áreas. Ver que ela entendia claramente as informações que o médico estava passando, especialmente naquele momento, foi muito emocionante, não tem como descrever a importância desse trabalho, de traduzir para o surdo, na língua deles, de maneira clara, algo tão especial”, disse Sandra.

Embora casos como o de Rosilene não sejam comuns na rotina hospitalar do CHT, a unidade realiza anualmente, com apoio de instituições parceiras, um curso de Libras para os profissionais e disponibiliza pelo menos uma vaga por setor. O objetivo é expandir o conhecimento e aprimoramento da língua para auxiliar os pacientes desde a realização de consultas, até procedimentos cirúrgicos.

“Os serviços de saúde precisam estar preparados para atender todo o tipo de paciente que necessite de atendimento, independente da condição ou dificuldade que exista naquele momento. Essa acessibilidade faz com o que o serviço seja mais humanizado e possibilita que o paciente entenda perfeitamente todo o processo que está sendo realizado”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

MATERNIDADE – Somente na maternidade do HT, que atende casos de baixo, médio e alto risco, trabalham 18 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos, fonoaudiólogos, assistentes sociais, psicólogos e residentes. Pelo menos 300 partos são realizados todos os meses.

Laura França Ferreira é a enfermeira responsável por cuidar desse setor e explica como funciona o acolhimento das pacientes. “Elas são acompanhadas por uma pessoa da família e um intérprete. Este intérprete tem autorização para ficar com a paciente o tempo todo, inclusive durante o parto, mesmo que seja no centro cirúrgico”, disse.

“Alguns trabalhadores possuem uma noção básica da língua e auxiliam neste momento único e tão esperado em que essas mulheres naturalmente já possuem dúvidas, medos e receios, então ficamos bem próximos para acolher e tranquilizar as pacientes”, complementou.

Para o diretor do CHT, Geci Labres de Souza Junior, é imprescindível que os pacientes e suas famílias entendam os procedimentos que serão submetidos. “Essa comunicação reduz o stress e todo o cenário fica mais positivo. Na hora do parto estamos em um momento de alegria bebê, mas existem procedimentos técnicos a serem feitos, então o entendimento de qualquer paciente é indispensável”, disse.

SERVIÇO – Para solicitar o serviço da Central de Libras em Curitiba – que pode ser agendado ou feito na hora – não é necessário cadastramento, basta entrar em contato. Os telefones de WhatsApp (para videochamadas) da Central são: (41) 98534-2258, 999974-2594 e 99255-8206. O telefone fixo é: (41) 3221-2262.

Fonte: Sesa

GALERIA DE IMAGENS